sábado, 31 de outubro de 2009

Hoje é o melhor presente que posso dar ao meu futuro.

Sempre vivi urgências.
Tudo era pra ontem.
E eu não via a hora de que o dia passasse rápido.
Ansiava pelo fim dele e o começo de um novo, diferente.
Não tão urgente e mais prazeroso.

E assim, deixava o dia correr ansiando que o tempo
levasse para o passado o que não era bom.
E o bom era sempre uma promessa de futuro.
O porvir.

Dia desses, final de ano, me dei conta de que meus amigos todos
estavam indo viajar, passar o reveillon fora.
E me percebi um tanto só.
Quase ficando triste, o primeiro pensamento que me veio foi:
tudo bem são só alguns dias, passam rápido.
Logo tudo volta ao normal e
entramos todos na roda viva de novo.

Mas, de repente, uma luz se acendeu na minha mente
e tive a consciência clara e explícita da importância do dia de hoje.
Hoje é tudo o que tenho para construir o amanhã.

Então, conscientemente, não quero mais
que o tempo “passe batido”, escorrendo pelas minhas mãos.

Ao contrário,
quero estar presente e atenta a cada segundo,
a cada minuto, a cada hora,
cuidando para que todos os momentos do meu dia
sejam preenchidos pelas qualidades da minha alma,
por pensamentos, palavras e atos positivos,
úteis e prósperos.

As notícias não são boas na TV?
Não preciso ver. Mudo de canal, desligo, vou ler, meditar,
preencher minha mente com o bem.
Na tela da minha mente consigo enxergar um mundo perfeito.

Hoje é um papel em branco
onde escrevo e desenho o meu futuro.
Hoje é o único caminho que me leva,
ou mais fundo na idade do ferro,
ou de volta à idade do ouro.
Eu quero voltar para a idade do ouro e posso.
Eu tenho os instrumentos.
Eu tenho livre escolha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário